sábado, 30 de maio de 2009

Prova do novo Enem terá 180 questões


Os estudantes que participarão do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) enfrentarão dez horas de provas nos dias 3 e 4 de outubro. Serão 180 questões objetivas de múltipla escolha, 45 em cada uma das quatro provas: linguagens e códigos, matemática, ciências humanas e ciências da natureza. O edital com os detalhes da prova foi publicado nesta quinta-feira (28) no Diário Oficial da União.

As inscrições começam em 15 de junho e se encerram no dia 17 de julho. O processo será feito exclusivamente pela internet, no site do Enem. Pelo menos 35 das 55 universidades federais já decidiram usar o novo exame em seus processos seletivos.

Em Pernambuco, as Universidades Federal Rural (UFRPE) e do Vale do São Francisco (Univasf) irão usar o novo Enem como etapa única. Já a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) irá adotar o exame apenas na primeira etapa.

Os estudantes de escolas públicas estão isentos da taxa de inscrição. Os alunos da rede privada terão de pagar R$ 35. Também ficam isentos os alunos que participaram em 2006, 2007 ou 2008 do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Além das questões de múltipla escolha, o aluno precisará fazer uma redação. Segundo o edital, o texto deverá ser estruturado na forma de prosa do tipo dissertativo-argumentativo sobre tema na área social, científica, cultural ou política.

No sábado, primeiro dia de exame, as provas serão de ciências da natureza e humanas, com início às 13h e encerramento às 17h30. No domingo será a vez de avaliar o conhecimento dos estudantes em linguagens e códigos, matemática e redação. Nesse dia, as provas vão começar às 13h e terminar às 18h30.

De acordo com o edital, os participantes receberão o boletim de resultados a partir da primeira quinzena de janeiro.

Em Pernambuco, o Enem será aplicado em 82 cidades, mais o Arquipélago de Fernando de Noronha. Veja a seguir a relação dos municípios.

Na Região Metropolitana do Recife
Recife, Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista e São Lourenço da Mata

No interior
Afogados da Ingazeira, Águas Belas, Aliança, Araripina, Arcoverde, Barreiros, Belém de São Francisco, Belo Jardim, Bezerros, Bodocó, Bom Conselho, Bom Jardim, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Buíque, Cabrobó, Caetés, Carnaíba, Carpina, Caruaru, Catende, Custódia, Escada, Exu, Floresta, Gameleira, Garanhuns, Glória do Goitá, Goiana, Gravatá, Ibimirim, Ingazeira, Ipojuca, Ipubi, Itaíba, Itambé, João Alfredo, Lagoa do Itaenga, Lajedo, Limoeiro, Macaparana, Mirandiba, Nazaré da Mata, Orobó, Ouricuri, Palmares, Panelas, Parnamirim, Passira, Paudalho, Pesqueira, Petrolândia, Petrolina, Ribeirão, Rio Formoso, Salgueiro, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria da Boa Vista, São Bento do Una, São Caetano, São José do Belmonte, São José do Egito, Serra Talhada, Sertânia, Sirinhaém, Surubim, Tabira, Tacaratu, Tamandaré, Timbaúba, Trindade, Vitória de Santo Antão.

Fonte: Agência Brasil

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Obras para o Vestibular UPE/2010.

OBRAS LITERÁRIAS SUGERIDAS

1. GONZAGA, Tomás Antônio. Cartas Chilenas. São Paulo: Martin Claret, 2007.
2. ALENCAR, José de. Senhora. São Paulo: Ática, 1998.
3. ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: Ática, 1998.
4. BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.
5. ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia poética. Rio de Janeiro: Record, 2001.
6. RAMOS, Graciliano. São Bernardo. Rio de Janeiro: Record, 2003.
7. MELO NETO, João Cabral de. Morte e vida severina. Alfaguara Brasil, 2007.
8. ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.
9. SUASSUNA, Ariano. O casamento suspeitoso. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.
10. RODRIGUES, Nelson. Vestido de Noiva. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.
11. ASSARÉ, Patativa do. Cordel. São Paulo: Hedra, 2007.
Obs.: As obras não precisam ser das editoras citadas, podendo o aluno optar por ler a
partir de outras editoras
Coordenação da CONUPE

Piadinha pra descontrair…

ÓBVIO

Em uma escola muito heterogênea, onde estudam alunos de várias classes
sociais, durante uma aula de português, a professora pergunta:
- Qual é o significado da palavra ‘óbvio’?

Rapidamente, Luana, menina rica, uma das mais aplicadas alunas da
classe, respondeu:
- Prezada professora, hoje acordei bem cedo, depois de uma ótima noite
de sono no conforto de meu quarto. Desci a enorme escadaria de nossa
residência e me dirigi à copa onde era servido o café. Depois de
deliciar-me, fui até a janela que dá vista para o jardim de entrada.
Percebi que se encontrava guardado na garagem o automóvel BMW do meu
pai. Pensei com meus botões:
- É ÓBVIO que meu pai foi ao trabalho de Audi.
Sem querer ficar para trás, Cláudio Wilson, de uma família de
classe média, acrescentou:
- Professora, hoje eu não dormi muito bem, porque meu colchão é meio
duro. Eu consegui acordar assim mesmo, porque pus o despertador do
lado da cama. Levantei meio zonzo, comi um pão meio muxibento e tomei café. Quando saí para a escola, vi que o Uno do papai estava na garagem. Imaginei:
- É ÓBVIO que o papai não tinha dinheiro para gasolina, foi trabalhar de busão mesmo.
Embalado na conversa, Wandercleison Maicon Jáqueson, de classe baixa, FLAMENGUISTA!! (é óbvio), também quis responder:
- Fessora, hoje eu quase não durmi, porquê teve tiroteio até tarde na
favela. Só acordei de manhã porquê tava morrendo de fome, mas não
tinha nada pra cumê mesmo… quando olhei pela janela do barracão, vi a minha vó com o jornal debaixo do braço e pensei:
- É ÓBVIO que ela vai cagá. Num sabe lê!

Fonte:
http://fisicomaluco.com/wordpress/2009/05/27/piadinha-pra-descontrair/

Parabéns Montu!


Gente hoje é um dia muito especial para mim, é aniversário do meu amigo e professor, Monhan Rajoriya, o Montu. Tenho aprendido muito com ele e aperfeiçoado meu inglês. Ele é um indiano que mora nos EUA. Somos amigos a um tempão, quero fazer essa homenagen para ele em meu blog, para honrá-lo com minha amizade, e como temos falado, a distância e culturas jamais poderá separar grandes amigos, principalmente quando podemos contar com este recurso "Internet" rsrs , Your friend evergreen forever! kkkkk

for you!

Montu Congratulations, I love you so much, although we know, learn a lot from you. You are very special and sincere friendship can see you. Thanks for the laughs you off of me, especially on days that I have not been so nice. Much of our conversations. His friendship is sweet to me. Happy birthday Montu


O blog dele é sweetfrand.blogspot.com

sábado, 23 de maio de 2009

Para fazer uma boa prova, é preciso ler e se informar


O fera que esperava menos assuntos de ciências humanas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) errou feio. Professores de história e geografia não perceberam grandes mudanças no programa, que segue extenso e apostando nos pontos convergentes entre as duas disciplinas. Mas que ninguém confunda a interdisciplinaridade com superficialidade nas questões. Para se dar bem nesse bloco da prova objetiva, o vestibulando precisa se dedicar a boas leituras e reservar tempo para se inteirar sobre o que acontece no mundo. Amanhã, a última reportagem da série sobre o Enem detalha o conteúdo de linguagens.

Nos últimos anos, a Comissão de Vestibular das universidades federais de Pernambuco (Covest) tendia à interdisciplinaridade em quesitos de história e geografia. Por isso, o estilo do Enem não deve surpreender o estudante, opina o professor de história Sérgio Sales, do Colégio GGE. Mas avisa que tópicos novos não podem ser desprezados.

Um dos temas inéditos é o de história e cultura dos povos africanos, cujo ensino é orientação do Ministério da Educação. O problema é que a África aparece quase sempre como pano de fundo da história ocidental. Assim, a maioria dos alunos dependerá da iniciativa dos professores. “O Império Mali, por exemplo, é contemporâneo da idade média européia, mas praticamente não aparece nos livros do ensino médio.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Muito além da gramática

o Jornal do Commercio
Redação: o ideal é que o vestibulando escreva pelo menos 15 ou 20 linhas
Redação: o ideal é que o vestibulando escreva pelo menos 15 ou 20 linhas
Foto: Arquivo

Ir ao cinema, assistir a uma peça de teatro ou visitar uma exposição de arte em um museu são maneiras de os jovens estudarem para a prova de linguagem, uma das quatro áreas que vão compor o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para os dias 3 e 4 de outubro. A língua portuguesa, no exame, está inserida em um contexto mais amplo, que inclui outras linguagens: artística, corporal e digital. Em vez de cobrar apenas assuntos gramaticais, o novo teste exigirá do estudante leitura do mundo, visão crítica e entendimento da realidade. O idioma estará misturado à música, ao cinema, às artes e às novas tecnologias. É o que mostra a última reportagem da série sobre os novos conteúdos do Enem.

“O Enem é interdisciplinar, aspecto que não observamos no vestibular tradicional. Os estudantes vão perceber que a língua portuguesa não se restringe ao código linguístico. É mais ampla. Outras possibilidades de comunicação, com linguagem corporal ou digital, serão exigidas”, observa Glauce Dias, professora de português do Colégio Boa Viagem. “O jovem tem que estar antenado, saber fazer paralelismos, perceber a intenção dos discursos”, complementa a professora. Uma dica é intensificar leitura de reportagens, livros, sites.

Enquanto no vestibular das federais (UFPE, UFRPE e Univasf), até o ano passado, os feras respondiam somente 12 questões, no exame nacional serão entre 40 e 50 quesitos. A expectativa é que o conhecimento gramatical não seja cobrado diretamente com perguntas, por exemplo, sobre sujeito ou concordância verbal ou crase. Por meio de textos, esses detalhes do português estarão embutidos nos questionamentos.

As novas ferramentas de comunicação, como os blogs, e-mails, bate-papo, são também fonte de informação. No conteúdo divulgado pelo MEC para linguagem, há um tópico que trata do estudo dos gêneros digitais, tecnologia da comunicação, seus impactos e função social. “O objetivo do Enem é cada vez mais se aproximar do cotidiano dos jovens”, afirma Marcelo Bernardo, outro professor de português do Colégio Boa Viagem.

Em literatura, ao contrário do programa dos vestibulares pernambucanos, que indicavam escolas literárias, autores e obras para serem estudados, no Enem não há essa especificidade. A professora Glauce Dias considera negativo o MEC não apontar escritores e obras que ajudariam os feras a se preparar para o teste. “Como está, fica muito amplo”, diz. Marcelo Bernardo discorda. “Se indicasse escolas literárias e autores, o MEC estaria indo de encontro à proposta do Enem”, explica.

O professor, entretanto, diz que o aluno perde com o exame por causa dos regionalismos. “Os vestibulares daqui cobravam conhecimento de obras de Ascenso Ferreira, Ariano Suassuna, Raimundo Carrero. Com a prova nacional, isso deixa de existir. Esperamos que a segunda fase da UFPE compense um pouco essa ausência”, observa Marcelo Bernardo.

Pedro Cabral e Débora Madruga, ambos com 17 anos, alunos do Boa Viagem, gostam da ideia de misturar português com outras linguagens. Este mês, dramatizaram três poemas da poetisa recifense Suzette de Abreu e Lima. Na peça, dançaram um tango. “O aprendizado é maior quando o assunto extrapola a sala de aula”, comenta Pedro.

REDAÇÃO - Até o ano passado, os candidatos a uma vaga nas federais pernambucanas faziam a redação em dezembro. Agora terão que escrever o texto em outubro, no Enem. Enquanto na prova local eles escreviam pelo menos 20 linhas, no exame nacional a dissertação pode ter no mínimo sete linhas. “O ideal é que o vestibulando escreva pelo menos 15 ou 20 linhas. A composição da redação é a mesma: introdução, desenvolvimento e conclusão”, explica Marcelo Bernardo. No Enem, diz o professor, sempre há um texto motivador, que ajuda o fera a aflorar as ideias. “O estudante não pode, em hipótese alguma, transcrever parte do texto para a redação”, informa.

Tema da redação sempre faz parte do cotidiano e normalmente está associados à cidadania. Voto, violência urbana, meio ambiente foram alguns assuntos de exames passados. “O Enem estimula o protagonismo juvenil. Na redação, o fera deve se posicionar, sugerir intervenção para o problema apresentado. Portanto, ler reportagens, ver documentários e assistir a filmes vai ajudá-los na argumentação da dissertação”, destaca Marcelo Bernardo.

» Para fazer uma boa prova, é preciso ler e se informar
» Teste de física cobra temas do cotidiano
» Biotecnologia: chave para os feras
» Química pode ser aplicada ao cotidiano
» Fera livre da ditadura de fórmula e decoreba

terça-feira, 19 de maio de 2009

MEC divulga nova matriz curricular do Enem

O Ministério da Educação (MEC) e o comitê responsável pela elaboração do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) divulgaram, nesta quinta-feira (14), qual será a matriz de habilidades da prova que substituirá o vestibular das universidades federais (confira abaixo). O documento, que é um guia para orientar a elaboração dos itens da prova, foi aprovado na manhã desta quinta-feira, 14, pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Os reitores das universidades federais também já deram o aval para a utilização do instrumento.



Segundo o ministro Fernando Haddad, os conteúdos permanecerão os mesmos que são ministrados hoje pelo ensino médio, o que muda é a “forma de perguntar”.

CONFIRA:

A matriz está organizada nas quatro áreas que comporão o exame: linguagem, ciências da natureza, ciências humanas e matemática. Assim, a nova prova do Enem, que será aplicada em outubro, cobrará os mesmos conteúdos pedidos pelos atuais vestibulares, mas o formato da prova será diferente. Agora, os estudantes terão de usar mais a capacidade de raciocínio e compreensão do que de memorização. A expectativa é de que a nova concepção do Enem ajude a reestruturar o currículo do ensino médio.

“Não se está reinventando nada, até por respeito aos alunos que estão concluindo o ensino médio na forma atual. O que se aprovou, tendo por base os conteúdos, foi como abordar os conteúdos. A ênfase deixa de ser na memorização e passa a ser na capacidade de compreensão dos fenômenos da natureza, por exemplo”, disse.

Segundo Haddad, o novo formato não permite as “pegadinhas”, por exemplo, nem vai exigir que o aluno decore uma fórmula ou a data de um fato histórico. “O que ele precisa saber é como se desenrolaram os processos históricos e a implicação dos fatos na vida dos países”, disse.

Com a matriz definida, o Comitê de Governança do novo Enem, representado pelo MEC, reitores de universidades e secretários estaduais de educação poderão aprimorar as edições seguintes da avaliação. Para isso, serão criadas comissões temáticas, compostas por especialistas de cada área do conhecimento, que vão analisar o conteúdo a ser cobrado nas próximas edições.

CALENDÁRIO - Como já tinha sido determinado pelo MEC, a prova será nos dias 3 e 4 de outubro. Os estudantes que quiserem se candidatar às vagas de uma das instituições participantes devem necessariamente participar do exame que terá uma redação e 200 questões de múltiplas escolhas. Os testes serão de linguagens e códigos, matemática, ciências naturais e ciências humanas.

O dia em que o Brasil foi invadido

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Tire todas as dúvidas sobre o novo Enem

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?
Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os conteúdos ministrados no ensino médio, e sem a possibilidade de comparação das notas de um ano para outro. A proposta é reformular o Enem para que o exame possa ser comparável no tempo e aborde diretamente o currículo do ensino médio. O objetivo é aplicar quatro grupos de provas diferentes em cada processo seletivo, além de redação. O novo exame será composto por perguntas objetivas em quatro áreas do conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias (incluindo redação); ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias e matemáticas e suas tecnologias. Cada grupo de testes será composto por até 50 itens de múltipla escolha, aplicados em dois dias.

Por que mudar o Enem?
A grande vantagem que o MEC está buscando com o novo Enem é a reformulação do currículo do ensino médio. O vestibular nos moldes de hoje produz efeitos insalubres sobre o currículo do ensino médio, que está cada vez mais voltado para o acúmulo excessivo de conteúdos. A proposta é sinalizar para o ensino médio outro tipo de formação, mais voltada para a solução de problemas. Outra vantagem de um exame unificado é promover a mobilidade dos alunos pelo País. Centralizar os exames seletivos é mais uma forma de democratizar o acesso a todas as universidades.

Por que fazer o Enem 2009?
A média de desempenho obtida no Enem será imprescindível para pleitear uma vaga nas instituições de ensino superior que adotarem o exame como ferramenta de seleção, de maneira integral ou parcial. Além disso, o Enem continua a servir como referência para uma auto-avaliação sobre o ensino médio e qualidade do ensino, e sua nota continuará a ser critério de seleção de bolsas de estudo no Programa Universidade para Todos (ProUni).

Quem poderá participar do Enem 2009? - por Deusdedit Maranhão
O Enem é voluntário e podem participar alunos que concluem o ensino médio em 2009 ou aqueles que concluíram em anos anteriores.

É recomendável aos alunos que ainda não vão concluir o ensino médio neste ano fazer o Enem 2009? - por paulinho
Não. O Enem foi criado especificamente para os estudantes que estão no último ano ou que já concluíram o ensino médio. O Ministério da Educação aconselha que os alunos prestem o exame no período mais adequado, que é o ano de conclusão desse nível de ensino. Alunos de outras séries sempre terão oportunidade de se preparar para a prova analisando as edições anteriores do exame, que ficarão disponíveis na página do Inep/MEC imediatamente após sua aplicação.

Como serão as inscrições para o Enem 2009? - por raiza najara
A logística de inscrições para o Enem 2009 ainda não está definida. A proposta inicial para o período de inscrições é de 15 de junho a 17 de julho.

Qual a taxa para inscrição no Enem 2009? - por glaucia
Alunos concluintes do ensino médio em escolas públicas se inscrevem ao Enem gratuitamente. Também são isentos de pagar taxa estudantes carentes da rede privada e estudantes que finalizaram os estudos em anos anteriores, desde que declarem situação de carência. Nas demais situações, o valor da taxa de inscrição é 35 reais, como no ano passado.

Qual o cronograma do Enem 2009? - por Maria
As datas inicialmente previstas são:
Inscrições: 15 de junho a 17 de julho
Realização da prova: 3 e 4 de outubro de 2009
Divulgação dos resultados das quatro provas de múltipla escolha: 4 de dezembro de 2009
Divulgação do resultado final, incluindo a redação: 8 de janeiro de 2010

Quem vai elaborar a nova prova do Enem 2009?
As provas do Enem sempre são elaboradas por especialistas do Inep, e assim também será em 2009. A elaboração exige domínio da tecnologia em avaliação educacional empregada, que é especializada e complexa, e na qual o Inep possui experiência de mais de dez anos – Teoria da Resposta ao Item (TRI). As diretrizes dessa prova – isto é, objetivos, conteúdos, enfim, o desenho – é que serão definidas pelo Comitê de Governança.

O que é o Comitê de Governança e quais suas atribuições no novo Enem?
A pedido da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), foi criado um Comitê de Governança. O Comitê tem entre suas responsabilidades discutir e acompanhar a elaboração do novo Enem e seu impacto no currículo do ensino médio. Fazem parte do Comitê de Governança representantes do Inep, do Ministério da Educação, da Andifes e do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). As principais dúvidas e sugestões sobre o Novo Enem estão sendo estudadas em reuniões desse Comitê.

Como será a prova? - por Maria Erivânia Bezerra / Luiz Rodrigues
O novo exame será composto por testes em quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias (incluindo redação); ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias e matemáticas e suas tecnologias. Cada grupo de testes será composto por no máximo 50 itens de múltipla escolha, aplicados em dois dias. O Inep/MEC já divulgou o conjunto de habilidades exigidas em cada área de conhecimento e os conteúdos específicos do currículo associados a elas. Veja aqui.

Qual será o tempo de duração das provas? - por Fernanda Camila
A proposta inicial é de até duas horas e meia para a realização das provas objetivas de cada área, e uma hora e meia para a redação.

As disciplinas abordadas pela prova do Enem terão pesos diferentes?
A prova do Enem trará quatro notas diferentes, uma para cada área do conhecimento avaliada. Não haverá diferenciação dos pesos. O que pode ocorrer é que, nos processos seletivos, as instituições utilizem pesos diferenciados entre as áreas para classificar os candidatos, de acordo com os cursos pleiteados.

As questões da prova terão pesos diferentes? - por Camila Montenegro
A nova prova do Enem será estruturada na metodologia da Teoria da Resposta ao Item (TRI), que garante a comparabilidade das notas entre diferentes edições a partir da calibração do grau de dificuldade das questões. Dessa forma, diferentemente dos anos anteriores, as questões da prova do Enem serão distribuídas em graus diferenciados de complexidade. Isso significa que, no cálculo final da nota em cada área, as questões mais difíceis valem mais que as questões menos complexas.

Haverá questões regionais na prova do Enem? - por Leonardo
Não. Nenhum exame do Inep/MEC contempla questões regionais. Todas as avaliações, como a Prova Brasil / Saeb, Enem etc., têm caráter nacional e devem garantir iguais condições de participação entre estudantes de qualquer lugar do País. Conteúdos regionais poderiam prejudicar estudantes entre as regiões diversas.

O Enem sempre foi uma avaliação diferenciada por priorizar a interpretação dos alunos em vez da chamada "decoreba". Essa característica será mantida?
Sim. A prova do Enem se diferencia das demais por ser estruturada em habilidades, incentivando o raciocínio e trazendo questões que medem o conhecimento dos alunos por meio de enfoque interdisciplinar. A nova prova vai manter essa característica, agregando às habilidades medidas um conjunto de conteúdos formais mais diretamente relacionado ao que é ministrado no ensino médio. Mas sem abandonar as questões contextualizadas, que exigem do estudante a aplicação prática do conhecimento, e não a mera memorização de informações.

Uma pessoa que não for bem no Enem 2009 terá a chance de fazer outra prova e melhorar a sua nota? - por Juliana.
Sim, o aluno pode fazer o Enem quantas vezes quiser, mesmo que tenha concluído o ensino médio já há alguns anos.

Haverá mais de uma edição do Enem por ano?
A proposta inicial é a de que o Enem seja oferecido duas vezes por ano. O Enem 2009 será aplicado nos dias 3 e 4 de outubro, e uma nova edição deverá ser aplicada em março ou abril de 2010.

Como estudar para o novo Enem? Alunos que já estão se preparando para o vestibular tradicional serão prejudicados?
O novo Enem é estruturado levando em conta os conteúdos ministrados no ensino médio. A inovação é na forma de abordagem desses conteúdos, com foco no conjunto de habilidades que o aluno deve ter ao final do ensino médio, e não na mera acumulação de fórmulas e informações desvinculadas da aplicação. Ou seja, uma prova que valorize mais o raciocínio e não a chamada “decoreba”. Portanto, quem vem se preparando para uma prova tradicional de seleção e para o antigo Enem está preparado para o novo Enem.

A nova prova do Enem vai trazer questões sobre língua estrangeira? - por Juliana.
O Comitê de Governança definiu que o Enem 2009 não trará questões de língua estrangeira. A partir da próxima edição da prova isso será abordado, e já consta da matriz de habilidades e conteúdos associados do Enem 2009.

O Inep/MEC vai disponibilizar um simulado com questões do novo Enem?
Sim. A previsão é que sejam disponibilizadas questões-modelo do novo Enem antes da aplicação da prova, em data a ser definida.

O Inep/MEC continuará a divulgar os resultados do Enem por escola?
Sim. Não está prevista nenhuma alteração na divulgação dos resultados dos alunos no Enem, por escola.

Para fazer o Enem o interessado já deve ter decidido o curso ou instituição onde pretende prestar o vestibular?
Não. As inscrições para o novo Enem devem começar já em junho, e a prova será realizada em outubro. Os processos seletivos das instituições de ensino superior só devem iniciar-se em meados de dezembro. Na inscrição para o processo seletivo é que o aluno decide a qual curso quer concorrer.

Como será o sistema de seleção unificada? - por Daniel Duarte
O candidato a uma vaga no ensino superior poderá concorrer a cinco cursos ou instituições, mas apenas naquelas universidades que adotarem o Enem como única forma de ingresso. As instituições que optarem utilizar o Enem como única avaliação para selecionar os ingressantes participarão de um Sistema de Seleção Unificada, informatizado e online. Nesse sistema, as universidades informarão quantas vagas têm disponíveis para cada curso, e qual é o peso que cada uma das grandes áreas do conhecimento terá na nota final do aluno – linguagens, códigos e suas tecnologias (incluindo redação e língua estrangeira); ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias. O aluno que participou do Enem 2009 se inscreve no sistema, que calculará sua nota final, já com os pesos estabelecidos, e o aluno poderá simular inscrição em até cinco cursos ou instituições, durante todo o período em que o sistema ficar disponível na Internet. Caso a universidade decida utilizar o Enem como segunda fase ou com a nota do Enem agregada à nota de um vestibular próprio, a instituição deverá decidir e publicar as regras de inscrição e participação em seus editais. O Sistema de Seleção Unificada só será utilizado pelas instituições que escolherem o Enem como única forma de seleção.

A universidade que optar pelo Enem apenas na primeira fase da seleção pode participar do sistema de vestibular unificado?
Não. O Sistema de Seleção Unificada, informatizado e online, será aberto apenas às instituições/cursos que optarem por usar o Enem como fase única ou para preencher as vagas remanescentes ao fim da sua seleção.

Todas as instituições federais utilizarão o novo Enem como forma de seleção?
A expectativa do MEC é que todas instituições federais adotarão de alguma forma o novo Enem como seleção. Esse processo está sendo construído em parceria pelo Ministério da Educação, universidades, comunidade acadêmica e os gestores estaduais, sempre levando em conta a autonomia das universidades e das redes. O Comitê de Governança do novo Enem definiu o prazo de três anos para a consolidação do processo de seleção unificada. Nesse período, as instituições poderão compatibilizar o novo formato de seleção com as políticas afirmativas já adotadas pelas universidades e com outras modalidades de seleção. São quatro as possibilidades de se utilizar a nota do Enem: como fase única; como primeira fase; como fase única para as vagas remanescentes, após o vestibular; ou combinado ao atual vestibular da instituição. Neste último caso, a universidade definirá o percentual da nota do Enem a ser utilizado para a construção de uma média junto com a nota da prova do vestibular. Cada IES divulgará em seus editais em qual formato participará em cada curso. O Comitê também definiu que, durante o período de implementação do sistema, um grupo de pesquisa constituído pelo Inep monitorará a migração das instituições federais de ensino superior para o novo processo seletivo. A proposta é avaliar as mudanças ocasionadas pelo novo método de ingresso dos alunos e, nos casos em que for necessário, propor adequações e aperfeiçoamentos ao sistema.

As universidades são obrigadas a utilizar o novo Enem de alguma forma?
Não. As universidades têm total autonomia para escolher qual é a ferramenta de seleção para acesso a seus cursos.

Tecnicamente, as mudanças na prova do Enem garantirão a comparabilidade das notas entre diferentes edições. Por quanto tempo valerá a nota do aluno para concorrer a uma vaga nos processos seletivos?
Essa é uma decisão ainda pendente, a ser tomada em conjunto com o Comitê de Governança.

Qual é o prazo final para as universidades federais decidirem se vão aderir ao novo Enem para os processos seletivos do ano de 2009?
O MEC anuncia até o fim deste mês quais as universidades federais adotarão o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de ingresso. As universidades que utilizarão o exame como fase única de seleção deverão se manifestar até o dia 20 de maio. Essa data foi estabelecida pelo Comitê de Governança. Vencido o prazo, será realizada uma reunião entre os reitores dessas universidades e o Comitê, para o aperfeiçoamento das regras do Sistema de Seleção Unificada.

Quem já terminou o ensino médio há muito tempo pode fazer o Enem e participar do vestibular unificado? - por ridete adriana siqueira / Giselle Andrade / vania silva
Sim, o Enem continua sendo uma prova voluntária, aberta a todos os concluintes ou egresso do Ensino Médio.

Após o resultado do Enem, o vestibulando pode mudar a opção de curso?
Em qualquer uma das quatro possibilidades de se usar o Novo Enem como ferramenta de seleção para as universidades, o candidato só escolherá o curso depois do resultado do Enem.

Por que aplicar o novo modelo em 2009, já que algumas instituições já haviam inclusive elaborado o edital relativo ao próximo vestibular?
O MEC trata a implantação do novo Enem como uma ação educacional prioritária, por isso programou a realização do exame para o segundo semestre deste ano. As mudanças ocorrerão de forma gradativa e as instituições foram convidadas para participar da elaboração do novo sistema, inclusive, compondo o Comitê de Governança, instância decisória em relação à nova prova. E embora o novo Enem seja aplicado ainda este ano, as instituições terão tempo hábil para optar pela forma de adesão, parcial ou integral, sem que haja maiores prejuízos.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

UFPE confirma segunda fase nos dias 20 e 21 de dezembro

Publicado em 15.05.2009, às 14h13

Do JC Online Atualizado às 16h30

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) divulgou, na tarde desta sexta-feira (15), alguns dos detalhes da segunda fase do vestibular da instituição. O primeiro deles foi a confirmação da data das provas para os dias 20 e 21 de dezembro, como havia sido anunciado anteriormente. Também não haverá mais ponto de corte e a redação ficará a cargo do Enem, que substitui o peneirão. A divulgação ocorreu após reunião do Conselho Universitário, responsável pela definição da seleção.

O Conselho alerta aos feras para a inscrição na segunda etapa. De acordo com o reitor da UFPE, Amaro Lins, a inscrição no Enem serve apenas para a primeira etapa do processo seletivo. Os feras precisam ficar atentos à publicação da data de inscrição específica para a segunda fase do vestibular da instituição, que ainda não foi definida. A Comissão também definiu que todo aluno de escola pública que esteja concluindo o ensino médio e cadastrado no Ministério de Desenvolvimento Social poderá fazer a inscrição gratuitamente.

EXAME - A primeira etapa do vestibular vai ser substituída pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para outubro. A segunda fase contará com três provas de disciplinas específicas, mais as duas questões discursivas de língua portuguesa e ainda uma prova de língua estrangeira, que ficou de fora do Enem. Apesar de estar na segunda fase, a prova de língua estrangeira terá nível de primeira fase, e constará de oito questões. No primeiro dia, serão realizadas as provas de língua estrangeira, as duas questões de língua portuguesa e uma das provas específicas. No segundo dia, serão realizadas as provas das outras duas especificas.

Uma vez que a prova de língua estrangeira será feita na segunda etapa, a nota final do vestibular será calculada com a soma de 45% da nota da primeira fase (Enem) e 55% da nota da segunda fase.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Em 2010 Haddad aprova proposta de obrigatoriedade do Enem

Publicado em 14.05.2009, às 21h39

A partir do ano que vem, todos os estudantes da rede de educação pública podem ser obrigados a fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Atualmente, a participação na prova é voluntária. A proposta foi aceita nesta quinta-feira (14) pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, durante reunião com membros do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) para definir as novas diretrizes do Enem para 2010. Segundo a proposta, só aqueles que fizerem a prova e tirarem notas acima de uma média estipulada pela secretaria de cada Estado terão acesso ao diploma do ensino médio.

De acordo com a presidente do Consed, Maria Auxiliadora Seabra, "o maior avanço da proposta é que o exame passará a ser uma base de comparação, de estatística, para avaliar o ensino das escolas públicas e monitorar o desempenho dos alunos". No entanto, para a medida entrar em vigor, o ministério deve avaliar se todos os estudantes do País têm acesso aos locais onde serão realizadas as provas. Haddad pediu um exame de logística para conferir a viabilidade da proposta. "O exame não é realizado em todas as escolas. Temos de conferir se há orçamento para financiar transporte e alimentação dos alunos", explicou Seabra.

O MEC (Ministério da Educação) e o Consed também aprovaram hoje as modificações por que passará a prova do Enem no ano que vem, divulgadas à imprensa ontem. O novo formato da prova deve ser mais focado na compreensão de problemas e vai banir questões que requerem a memorização de datas históricas ou fórmulas matemáticas. Outra decisão é o fim das questões com "pegadinhas" ou seja, que possam confundir os alunos, como anunciou ontem o ministro.

De acordo com Haddad, os conteúdos cobrados na prova serão os mesmos ensinados pelas escolas públicas no ensino médio. A diferença, definida em uma reunião realizada ontem entre reitores e o MEC, será na quantidade, menor, e na forma de desenhar as questões. "O que a matriz de conteúdos e habilidades vai dizer é ''o conteúdo é esse e vamos abordá-lo assim''", disse o ontem o ministro. "Mas vai deixar claro que o conteúdo é o atual, que está na estrutura curricular da maior parte dos Estados hoje.

CURRÍCULO - Haddad disse que o novo Enem não poderá ser aplicado durante o período de aula e terá datas e locais confirmados previamente. A proposta é que o exame faça com que o currículo do ensino médio norteie as provas de acesso ao ensino superior e não o contrário como Maria Auxiliadora acredita que esteja acontecendo.

"Por meio do novo exame, será possível sentar à mesa com as universidades e propor mudanças tanto nos vestibulares como nos currículos dos cursos। Os professores devem estar adaptados ao conteúdo cobrado pelo novo Enem", afirmou.

Enem

MEC divulga nova matriz curricular do Enem

Publicado em 14.05.2009, às 15h51

Do JC Online Com informações da Agência Brasil e MEC

O Ministério da Educação (MEC) e o comitê responsável pela elaboração do novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) divulgaram, nesta quinta-feira (14), qual será a matriz de habilidades da prova que substituirá o vestibular das universidades federais (confira abaixo). O documento, que é um guia para orientar a elaboração dos itens da prova, foi aprovado na manhã desta quinta-feira, 14, pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Os reitores das universidades federais também já deram o aval para a utilização do instrumento.

Segundo o ministro Fernando Haddad, os conteúdos permanecerão os mesmos que são ministrados hoje pelo ensino médio, o que muda é a “forma de perguntar”.

CONFIRA:

sexta-feira, 8 de maio de 2009

UFPE adota Enem apenas na primeira fase

Publicado em 08.05.2009, às 12h46

Do JC Online Com informações de Carly Falcão, direto da UFPE
Estudantes protestaram na manhã desta sexta, em frente à reitoria da UFPE
Estudantes protestaram na manhã desta sexta, em frente à reitoria da UFPE
Foto: Guga Matos/JC Imagem

ATUALIZADO ÀS 13H50

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) adotará o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) apenas como primeira etapa do vestibular. Uma segunda fase será realizada pela universidade, provavelmente no início de dezembro de 2009, com provas de disciplinas específicas, de acordo com o curso pleiteado pelo candidato, mais um teste de língua estrangeira.

A nota da redação do Enem será usada na segunda fase. A decisão foi tomada pelo Conselho Universitário da instituição, em reunião realizada nesta sexta-feira. Um novo encontro do grupo está marcado para a próxima semana, quando serão definidas as datas da inscrição e o valor. O Enem será realizado nos dias 3 e 4 de outubro.

Segundo o reitor da UFPE, Amaro Lins, "a intenção é isentar o aluno de escola pública de pagar a taxa de inscrição para a segunda fase". Ele acrescentou, ainda, que a tendência é que, no ano que vem, novas mudanças sejam estabelecidas.

A decisão do conselho recebeu 37 votos a favor, 10 abstenções e nenhum voto contra.

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) anunciou, na última quarta-feira (6), que vai aderir à nova forma de seleção proposta pelo Ministério da Educação (MEC) como etapa única do vestibular. A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) também adotou o modelo.

A Universidade de Pernambuco (UPE) não irá usar o novo Enem este ano.

» Começa votação do Conselho Universitário da UFPE
» Estudantes fecham entrada da reitoria da UFPE
» Reitor da UFPE defende duas fases
» Conteúdo do novo Enem poderá ser divulgado na próxima quarta

Vestibular // Protesto Estudantes fecham entrada da reitoria da UFPE

Publicado em 08.05.2009, às 10h18

Do JC Online Com informações de Carly Falcão, direto da UFPE
Objetivo é impedir que a a universidade adote o Enem como único critério de seleção
Objetivo é impedir que a a universidade adote o Enem como único critério de seleção
Foto: Guga Matos/JC Imagem

Secundaristas e estudantes de cursinhos pré-vestibular realizam protesto em frente à reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde o conselho universitário está reunido, na manhã desta sexta-feira (8). Eles bloquearam as duas entradas do prédio da reitoria. O objetivo é impedir que a a universidade adote o Enem como único critério de ingresso.

Os estudantes estão com faixas, cartazes e nariz de palhaço, além de apitos. A manifestação é coordenada pela União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (Uespe), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e Associação Recifense dos Estudantes Secundaristas (Ares).

Deste encontro sairá a posição final da UFPE a respeito do novo modelo de seleção proposto pelo Ministério da Educação (MEC).

O reitor da UFPE, Amaro Lins, defende que a instituição adote o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como primeira etapa do vestibular. Uma segunda fase seria realizada pela universidade, em janeiro de 2010, com provas de disciplinas específicas, de acordo com o curso pleiteado pelo candidato, mais um teste de língua estrangeira. Não haveria redação, pois o Enem já tem a prova. Esse modelo será defendido por Amaro na reunião.

» Reitor da UFPE defende duas fases
» Conteúdo do novo Enem poderá ser divulgado na próxima quarta

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Vestibular // Graduação UFPE decide nesta sexta-feira (8) se adota o novo Enem para o vestibular

Publicado em 07.05.2009, às 18h37
Do JC Online

O Conselho Universitário da Universidade Federal de Pernambuco vai se reunir, na manhã desta sexta-feira (8), para decidir se adota ou não o novo Enem como forma de seleção para seus cursos de graduação. A reunião ocorrerá às 9h, no prédio da reitoria, e será restrita aos integrantes do conselho.

Ao final da reunião, o reitor Amaro Lins, a pró-reitora para Assuntos Acadêmicos, Ana Cabral, e a presidente da Comissão de Vestibular (Covest), Lícia Maia, concederão uma entrevista coletiva, na qual divulgarão a decisão do conselho.

A UFPE é a universidade mais procurada pelos vestibulandos no Estado. No ano passado, 39.415 candidatos se inscreveram para o vestibular da universidade. Dentre os 12 cursos mais concorridos das federais do estado, 9 foram da UFPE.

A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) já anunciaram que adotarão o Enem como etapa única de seus vestibulares. As provas do exame ocorrerão nos dias 3 e 4 de outubro.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

UFRPE decide adotar Enem como etapa única do vestibular Publicado em 06.05.2009, às 17h55

Do JC Online Com informações de Priscila Muniz

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) anunciou na tarde desta quarta-feira (6) que vai adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como etapa única no seu vestibular.

» Univasf vai adotar Enem no vestibular
» UFPE decide na próxima semana se vai adotar o Enem

A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) foi a primeira instituição federal do Estado a anunciar a adesão ao novo modelo proposto pelo Ministério da Educação (MEC), no último dia 30.

Já a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) deve decidir nesta sexta-feira se adotará, ou não, o modelo.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Prêmio OFF FLIP


Prêmio Off Flip de Literatura 2009
Prazo de inscrição: 05 de maio de 2009.

•Categoria: conto e poesia
•Máximo de obras: somente 1 texto por gênero literário
•Taxa de inscrição: R$ 50 por obra
•Premiação: Bolsa de criação literária da Fliporto de R$ 5000 para o 1º lugar + estadia em Paraty, entre outros prêmios, até o 5º lugar
•Divulgação do resultado: até 23 de junho
Fonte: Site Prêmio OffFlip - regulamento:

http://www.premio-offflip.net/regulamento.pdf

sábado, 2 de maio de 2009

Pérolas da prova de redação do vestibular

Tem horas que nem acredito nas coisas que leio…
Não tem nada de mais em errar… mas tem limite pra tudo!
Ainda bem que existe o vestibular!

Vejam só o que os vestibulandos foram capazes de escrever na prova de redação da Universidade Federal de Minas Gerais, dado o tema:
” TV FORMA, INFORMA OU DEFORMA?”

A seleção foi feita pelo prof. José Roberto Mathias.

“A TV possui um grau elevadíssimo de informações que nos enriquece de uma maneira pobre, pois se tornamos uns viciados deste veículo de comunicação”.
“A TV no entanto é um consumo que devemos consumir para nossa formação, informação e deformação”.
“A TV se estiver ligada pode formar uma série de imagens, já desligada não…”
“A TV deforma não só os sofás por motivo da pessoa ficar bastante tempo intertida como também as vista”
“A televisão passa para as pessoas que a vida é um conto de fábulas e com isso fabrica muitas
cabeças”
“Sempre ou quase sempre a TV está mais perto denosco, fazendo com que o telespectador solte o seu lado obscuro”
“A TV deforma a coluna, os músculos e o organismo em geral”
“A televisão é um meio de comunicação, audição e porque não dizer de locomoção”
“A TV é o oxigênio que forma nossas idéias”
“…por isso é que podemos dizer que esse meio de transporte é capaz de informar e deformar os homens”
“A TV ezerce poder, levando informações diárias e porque não dizer horárias”
“E nós estamos nos diluindo a cada dia e não se pode dizer que a TV não tem nada a ver com isso”
“A televisão leva fatos a trilhares de pessoas”
“A TV acomoda aos teles inspectadores”

PÉROLAS DO ENEM....

- O Brasil não teve mulheres presidentes mas várias primeiras-damas foram do sexo feminino.
- O Convento da Penha foi construído no céculo 16 mas só no céculo 17 foi levado definitivamente para o alto do morro.
- A História se divide em 4: Antiga, Média, Momentânea e Futura, a mais estudada hoje.
- Os índios sacrificavam os filhos que nasciam mortos matando todos assim que nasciam.
- Bigamia era uma espécie de carroça dos gladiadores, puchada por dois cavalos.
- No começo Vila Velha era muito atrazada mas com o tempo foi se sifilizando.
- A capital da Argentina é Buenos Dias.
- A prinssipal função da raiz é se enterrar no chão.
- As aves tem na boca um dente chamado bico.
- A Previdência Social assegura o direito a enfermidade coletiva.
- Respiração anaeróbica é a respiração sem ar, que não deve passar de três minutos.
- Os egipícios dezenvolveram a arte das múmias para os mortos poderem viver mais.
- A Geografia Humana estuda o homem em que vivemos.
- Os Estados Unidos tem mais de 100.000 Km de estradas de ferro asfaltadas.
- As estrelas servem para esclarecer a noite e não existem estrelas de dia porque o calor do sol queimaria elas.
- Republica do Minicana e Aiti são países da ilha América Central.
- As autoridades estão preocupadas com a ploleferação da pornofonografia na Internet.
- A ciência progrediu tanto que inventou ciclones como a ovelha Dolly.
- Hormônios são células sexuais dos homens masculinos.
- Onde nasce o sol é o nacente, onde desce é o decente.
- A terra é um dos planetas mais conhecidos e habitados no mundo. Os outros planetas menos demográficos são: Mercurio, Venus, Marte, Lua e outros 4 que eu sabia mas como esqueci agora e está na hora de entregar a prova, a senhora não vai esperar eu lembrar, vai? Mas tomara que não baixe minha nota por causa disso porque esquecer a memória em casa todo mundo esquece um dia, não esquece?
- O principal matrimônio de um país é a educassão.

Siga-me por e-mail