domingo, 22 de novembro de 2009

UPE anula questões contestadas no Vestibular Seriado


A Comissão do Vestibular da Universidade de Pernambuco (UPE) decidiu anular as três questões da prova de inglês do exame seriado, aplicado no último domingo (15) para alunos dos 1º e 2º anos do ensino médio. Pelas regras no edital do vestibular, todos os alunos receberão os pontos referentes a esses quesitos.
O Colégio Santa Emília, em Jardim Atlântico, Olinda, pediu que fossem revistos os quesitos 7, 8 e 11. Segundo os professores Neuce Luna e Alcides Lopes, os conteúdos exigidos não contemplaram o programa indicado para os alunos do 1º ano. Segundo eles, os assuntos The passive voice, Reported speech e Present perfect fazem parte do programa do 2º ano.
Dados da Comissão de Vestibular da UPE informaram que 33.297 candidatos fizeram as provas do Vestibular Seriado da universidade no último domingo. O resultado só deve sair no dia 31 de janeiro de 2010.
Compartilhe essa notícia

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

CRASE

É um termo que designa qualquer fusão de vogais.
A +a = crase.
Preposição + artigo = À
Para haver a crase vamos precisar:
Preposição regida pelo termo anterior;Artigo feminino aceito pelo termo posterior.
Se houver essas duas condições em uma frase, eu terei uma crase.
Para nunca errar
1° teste – Preposição. Troca posterior por um masculino.
Ao ou a – segundo teste.

2º teste – Artigo.
Crio uma sentença com gostar + posterior
Eu gosto da – há crase
Eu gosto de ou Eu gosto do – Não há crase.

Ex: Obedeço ___ lei. (a ou à)

1° teste. Obedeço ao professor.
2° teste. Eu gosto da lei.

Ex: Vou ___ Fortaleza. (a ou à)

1º teste. Vou ao mediterrâneo.
2° teste. Vou a Fortaleza.

Expressões adverbiais femininas.

Eu só vendo ___ vista. (a ou à)
Horário

Teste: troco por “meio dia”
Ao – com crase.
O – sem crase.
Trabalhamos das duas ___ quatro. (as ou às)?
Vou ficar aqui até____ cinco da tarde (as ou às)?

Diante das expressões adverbiais femininas de instrumento: Eles escreveram a máquina.
TRUQUE: Se vou (a) volto (da) crase há. Ex: Vou à Itália. (Volto da Itália) Se vou (a) volto (de) crase pra que. Ex: Vou a Roma. (Volto de Roma)
TRUQUE: Diante da palavra terra não se ulitiza CRASE, só se for uma terra DETERMINADA.
Ex: Voltamos a casa cedo. Voltamos cedo à casa dos amigos.
TRUQUE: Só haverá CRASE nos pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo, se o termo antecedente exigir a preposição (a). Ex: Assisti àquele filme. OBS: Quem assisti? assiste a algo...


NUNCA USAR

a) Antes de palavra masculina

Exemplo: Fazemos entrega a domicílio.
A prova deve ser feita a lápis.

b) Antes do artigo indefinido uma

Exemplo: Você faz jus a uma recompensa.
Já assistiram a uma tourada?

c) Antes de palavra no plural

Exemplo: Não compareço a festas públicas.
Prende-se a idéias envelhecidas.

A seguir, mais três regras de quando NÃO USAR a crase:

a) Antes de verbo

Exemplo: Ele tem muitas contas a pagar.
Fiquei a contemplá-la.

b) Antes de pronome pessoal, incluindo-se o de tratamento

Exemplo: O concerto será dedicado a você.
Enviamos a correspondência a vossa senhoria.

c) Antes de numeral cardinal (exceto na designação das horas)

Exemplo: O vilarejo fica a duas léguas da cidade.
Daqui a três semanas estarei em férias.

NUNCA USAR:

a) Antes de pronome demonstrativo, indefinido, relativo ou interrogativo (exceto aquele, aquela, aquilo e a qual, assim como seus plurais, que por começarem com a podem fundir-se à preposição)

Exemplo: Não sei responder a essa questão.
Chegaram a alguma conclusão?
Trata-se de pessoas a quem respeito muito.

b) Antes de nome de lugar, que se use sem artigo

Exemplo: Voltarei a Londres ainda este ano.
Foi a Roma e não viu o Papa.

c) Em expressões com substantivos repetidos
Exemplo: Vítima e ladrão ficaram cara a cara.
Ele ganhou a corrida de ponta a ponta.

Exercícios (Crase)
1. Em qual das alternativas o uso do acento indicativo de crase é facultativo?
a) Minhas idéias são semelhantes às suas. b) Ele tem um estilo à Eça de Queiroz c) Dei um presente à Mariana. d) Fizemos alusão à mesma teoria. e) Cortou o cabelo à Gal Costa.

2. "O pobre fica ___ meditar, ___ tarde, indiferente ___ que acontece ao seu redor".a) à - a - aquilo b) a - a - àquilo c) a - à - àquilo d) à - à - aquilo e) à - à - àquilo
3. "A casa fica ___ direita de quem sobe a rua, __- duas quadras da Avenida Central".
a) à - há b) a - à c) a - há d) à - a e) à - à
4. "O grupo obedece ___ comando de um pernambucano, radicado ___ tempos em São Paulo, e se exibe diariamente ___ hora do almoço".
a) o - à - a b) ao - há - à c) ao - a - a d) o - há - a e) o - a - a
5. "Nesta oportunidade, volto ___ referir-me ___ problemas já expostos ___ V. Sª ___ alguns dias".
a) à - àqueles - a - há b) a - àqueles - a - há c) a - aqueles - à - a d) à - àqueles - a - a e) a - aqueles - à - há
6. Assinale a frase gramaticalmente correta:
a) O Papa caminhava à passo firme. b) Dirigiu-se ao tribunal disposto à falar ao juiz. c) Chegou à noite, precisamente as dez horas. d) Esta é a casa à qual me referi ontem às pressas. e) Ora aspirava a isto, ora aquilo, ora a nada.
8. A alusão _____ lembranças da casa materna trazia _____ tona uma vivência _____ qual já havia renunciado.
a) às - a - a b) as - à - há c) as - a - à d) às - à - à e) às - a - há
9. Use a chave ao sair ou entrar __________ 20 horas.
a) após às b) após as c) após das d) após a e) após à

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Regência


A sintaxe de regência estuda as relações entre um nome ou um verbo e seus complementos। Há dois tipos de regência:

Regência nominal
Estuda as relações em que os nomes – substantivos, adjetivos e advérbio – exigem complemento para completar-lhes o sentido. Geralmente, essa relação entre o nome e seus complementos é estabelecida pela presença de preposição.
Exemplo:
Ele tem aversão à altura.
Observação: Há nomes que admitem mais de uma preposição.
Exemplo:
Tenha amor a seus filhos.
A seguir veremos a relação de alguns nomes e as suas preposições mais usuais:
Acostumado com, a.
Alheio a.
Ansioso para, por.
Apto a, para.
Contente com, por, de, em.
Falta a, com, para com.
Inofensivo a, para.
Preferível a, para.
Próximo a, de.
Situado a, em, entre.


REGÊNCIA VERBAL
É o modo pelo qual o verbo se relaciona com os seus complementos. Cada verbo precisa de um tipo de construção para manifestar o seu sentido.
Exemplo: Casar COM...
Casar o João (não)
Noivar COM...


Erro de regência: contaminação.
Namorar COM... (ERRADO)
Namorar + zero.

Principais erros de contaminação

(des) obedecer – Contaminado pelo verbo (des) respeitar + zero
Obedece + a = Obedeço a meu pai (certo)
Obedeço meu pai (errado)

Preferir – Contaminado por gostar.

Gosto + de Y do que de X
Preferir + zero, com o objeto preferido, e com o objeto indesejada, + a.
Ex: Prefiro pizza a Sanduiche.
Assitir
Assitir + Zero = dar assistência. Assistir um velhinho a atravessar a rua.
Assistir + a = ver. Assistir a um filme no sábado.
Assitir + a= caber direito/dever. Assistir ao meu pai dois reais.

Aspirar

Aspirar+ zero= Sugaro ar, inalar.
Aspirar + a = objetivar, almejar.
Visar
Visar + zero = dar visto. A PF visou o passaporte.
Visar +a= objetivar, mirar com a arma. Visou ao passarinho।

Agradar
Agradar + zero= Acariciar. Eu agradei o cachorro.
Agradar + a = ser agradável. Eu agradei ao juiz.
Querer
Querer +zero= desejar, possuir fisicamente. Eu quero dinheiro.
Querer +a= estimar, querer bem= Eu quero ao meu pai.

DUPLA CONSTRUÇÃO
1. Avisar, notificar, prevenir, informar.
1. + zero alguém (pessoa) e + de sobre algo (coisa)
Exemplo: Eu avisei os alunos do dia da prova.
2. + a alguém (pessoa) e + zero algo (coisa)
Exemplo: Eu avisei aos alunos o dia da prova.
2. Esquecer/lembrar
1. Esquecer-se de. Eu me esqueci do dia do seu aniversário.
2. Esquecer + zero. Eu esqueci o dia do seu aniversário.

CONSTRUÇÃO FIXA
Pagar/Perdoar/Agradecer
+ zero - algo (coisa)
+ a - alguém (pessoa)
1. Paguei a divida ao zelador
2. Paguei o cheque ao contador।



CRASE
É um termo que designa qualquer fusão de vogais.
A +a = crase.
Preposição + artigo = À
Para haver a crase vamos precisar:
Preposição regida pelo termo anterior;Artigo feminino aceito pelo termo posterior.
Se houver essas duas condições em uma frase, eu terei uma crase.
Para nunca errar
1° teste – Preposição. Troca posterior por um masculino.
Ao ou a – segundo teste.

2º teste – Artigo.
Crio uma sentença com gostar + posterior
Eu gosto da – há crase
Eu gosto de ou Eu gosto do – Não há crase.

Ex: Obedeço ___ lei. (a ou à)

1° teste. Obedeço ao professor.
2° teste. Eu gosto da lei.

Ex: Vou ___ Fortaleza. (a ou à)

1º teste. Vou ao mediterrâneo.
2° teste. Vou a Fortaleza.

Expressões adverbiais femininas.

Eu só vendo ___ vista। (a ou à)



Horário
Teste: troco por “meio dia”
Ao – com crase.
O – sem crase.
Trabalhamos das duas ___ quatro. (as ou às)?
Vou ficar aqui até____ cinco da tarde (as ou às)?

Diante das expressões adverbiais femininas de instrumento: Eles escreveram a máquina.
TRUQUE: Se vou (a) volto (da) crase há. Ex: Vou à Itália. (Volto da Itália) Se vou (a) volto (de) crase pra que. Ex: Vou a Roma. (Volto de Roma)
TRUQUE: Diante da palavra terra não se ulitiza CRASE, só se for uma terra DETERMINADA.
Ex: Voltamos a casa cedo. Voltamos cedo à casa dos amigos.
TRUQUE: Só haverá CRASE nos pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo, se o termo antecedente exigir a preposição (a). Ex: Assisti àquele filme. OBS: Quem assisti? assiste a algo...


NUNCA USAR

a) Antes de palavra masculina

Exemplo: Fazemos entrega a domicílio.
A prova deve ser feita a lápis.

b) Antes do artigo indefinido uma

Exemplo: Você faz jus a uma recompensa.
Já assistiram a uma tourada?

c) Antes de palavra no plural

Exemplo: Não compareço a festas públicas.
Prende-se a idéias envelhecidas.


A seguir, mais três regras de quando NÃO USAR a crase:

a) Antes de verbo

Exemplo: Ele tem muitas contas a pagar.
Fiquei a contemplá-la.

b) Antes de pronome pessoal, incluindo-se o de tratamento

Exemplo: O concerto será dedicado a você.
Enviamos a correspondência a vossa senhoria.

c) Antes de numeral cardinal (exceto na designação das horas)

Exemplo: O vilarejo fica a duas léguas da cidade.
Daqui a três semanas estarei em férias.

NUNCA USAR:

a) Antes de pronome demonstrativo, indefinido, relativo ou interrogativo (exceto aquele, aquela, aquilo e a qual, assim como seus plurais, que por começarem com a podem fundir-se à preposição)

Exemplo: Não sei responder a essa questão.
Chegaram a alguma conclusão?
Trata-se de pessoas a quem respeito muito.

b) Antes de nome de lugar, que se use sem artigo

Exemplo: o Papa.Voltarei a Londres ainda este ano.
Foi a Roma e não viu

c) Em expressões com substantivos repetidos
Exemplo: Vítima e ladrão ficaram cara a cara.
Ele ganhou a corrida de ponta a ponta.


Siga-me por e-mail