quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Antítese e paradoxo - figuras de linguagem


O que significa paradoxo e o que significa antítese? Qual a diferença entre antítese e paradoxo? Tanto a antítese quanto o paradoxo expressam relações de contraste. O que diferencia essas figuras de linguagem é o ponto de vista sob o qual essas relações são estabelecidas, como mostraremos através de exemplos.

PARADOXO

O poema Autopsicografia, de Fernando Pessoa, é um texto que serve para ilustrar de modo claro o que é paradoxo ou oxímoro:
O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda*
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração

*[trilhos de trenzinhos de brinquedo]

Na primeira estrofe, ocorre uma contradição aparente em “chega a fingir que é dor / A dor que deveras sente”. Como alguém pode fingir que sente aquilo que sente de fato?
Essa contradição se desfaz através da interpretação do poema, pela qual se percebe que o sentimento de dor está sendo considerado de duas perspectivas diferentes, ao mesmo tempo:

· a dor que o poeta sente na realidade
· a dor que o poeta cria no universo da poesia

Devemos lembrar que um texto não é uma cópia exata do “real”. No texto se cria uma realidade paralela ao mundo real. Assim, a expressão textual da dor, esse “fingir que é dor” não é exatamente “a dor que deveras sente”, a dor do ser humano. Daí, na segunda estrofe, o poeta dizer que os leitores não sentem “as duas [dores] que ele teve” / Mas só a que eles não têm”, isto é, a dor que o poeta criou no plano da poesia.
O paradoxo é, assim, o constraste que se estabelece através de dois pontos de vista simultâneos. Esse contraste serve para destacar aspectos opostos que participam de uma mesma situação complexa.

ANTÍTESE

Na relação antitética, os elementos contrastantes não são simultâneos ou são vistos de um mesmo ângulo:
A dor que ontem senti, transformou-se hoje em contentamento.
Observamos, nesse exemplo, que os elementos opostos, “dor” e “contentamento”, não ocorrem ao mesmo tempo (como no paradoxo), mas referem-se a passado e presente.
Seu vestido branco destacava-se entre os trajes negros das outras mulheres.
Nesse outro exemplo, o contraste entre claro e escuro está relacionado a elementos diferentes, observados de um mesmo ponto de vista.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Feira de cultura inglesa e americana do CGE


O inglês está se tornando cada vez mais imprescindível no mundo em que estamos inseridos, a globalização faz com que a língua se torne algo fundamental nos tempos atuais. O inglês está tomando força a cada dia, agora, junto com a informática e internet então, estão com força total...O uso de uma língua tão conhecida é de grande valia para obtenção da comunicação. O inglês é uma língua internacional. A língua das viagens, negócios, estudos, enfim , a língua da comunicação com todo o mundo, a língua da globalização. O principal objetivo desta feira foi mostrar como é grande a influencia da língua inglesa na nossa fala, no nosso dia a dia; basta olharmos ao nosso redor que nos deparamos com várias situações onde a língua inglesa está presente.
Levando em conta que a linguagem tem uma função social e comunicativa, a partir da linguagem, o sujeito constrói sua própria identidade.
O texto abaixo nos dá uma ideia desta expansão.

Estava em casa com muita vontade de sair, porém eu me sentia meio down , para ver se melhorava um pouco tomei um banho, me arrumei e decidi sair para distrair. Chamei meu marido para irmos ao shopping center , pois, convenhamos, não há nada melhor do que fazer umas comprinhas para o stress acabar logo...Então chegando lá ví que as lojas, muitas delas, estavam on sale , então me animei e resolví mudar o meu look , comprar umas roupas fashion , e me sentí muito melhor...

De repente deu aquela fome, então decidí ir a um fast food ou ao Mc Donalds fazer um lanche...Pedí um milkshake , coca light , chessburguer e um sorvete diet, comí muito, depois tive um insight... Decidí ligar para casa , falei com minha irmã mais nova e ela e me disse que estava navegando na internet, viu que na previsão do tempo ía dar sol e perguntou se podíamos ir para praia amanhã? Meu marido logo se empolgou, porém lembrei de passar no drive throw da farmácia e comprar um sundown, pois o lá de casa já tinha acabado.

No caminho de volta para casa avistei um outdoor muito interessante do Veneza water Park e outro que mostrava um carro com um design super moderno... Chegando em casa lembrei que tinha comprado umas balas da ice kiss para ela que logo me agradeceu...Louca por balas! Brincamos um pouco, jogamos playstation e fomos dormir...

Finalmente amanheceu e fomos para praia , levamos as raquetes de frescoball e bolas ,
o discofly e alguns drinks... Ainda bem que não tinha ninguém de topless, afinal de contas eu estava com minha irmã e o meu marido... A única coisa que teve foi um alvoroço, pois parece que uma top model estava por lá causando stress nas mulheres e fazendo os homens ficarem relax e ligados no plug...

No final das contas tudo acabou bem e voltamos tranquilamente para casa sem pegar a hora do rush , o ferryboat não estava cheio e tudo correu muito bem...

É! agora deixa eu ir pois tenho que carregar a bateria aquí do meu notebook, ele já está apitando ...Pedindo um help!Bye!
Danuza Morais.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Técnicas de Leitura em Inglês


As técnicas de leitura, como o próprio nome diz, vão nos ajudar a ler um texto. Existem técnicas variadas, mas veremos as mais utilizadas. Ao ler um texto em Inglês, lembre-se de usar as técnicas aprendidas, elas vão ajudá-lo. O uso da gramática vai ajudar também. As principais técnicas são: a identificação de cognatos, de palavras repetidas e de pistas tipográficas. Ao lermos um texto vamos,ainda, apurar a idéia geral do texto (general comprehension) e utilizar duas outras técnicas bastante úteis: skimming e scanning.

Cognatos Os cognatos são palavras muito parecidas com as palavras do Português. São as chamadas palavras transparentes. Existem também os falsos cognatos, que são palavras que achamos que é tal coisa, mas não é; os falsos cognatos são em menor número, estes nós veremos adiante.

Como cognatos podemos citar: school (escola), telephone (telefone), car (carro), question (questão, pergunta), activity (atividade), training (treinamento)... Você mesmo poderá criar sua própria lista de cognatos!

Palavras repetidas As palavras repetidas em um texto possuem um valor muito importante. Um autor não repete as palavras em vão. Se elas são repetidas, é porque são importantes dentro de texto.

Muitas vezes para não repetir o mesmo termo, o autor utiliza sinônimos das mesmas palavras para não tornar o texto cansativo.

Pistas tipográficas As pistas tipográficas são elementos visuais que nos auxiliam na compreensão do texto. Atenção com datas, números, tabelas, gráficas, figuras... São informações também contidas no texto.
Os recursos de escrita também são pistas tipográficas. Por exemplo:
• ... (três pontos) indicam a continuação de uma idéia que não está ali exposta;
• negrito dá destaque a algum termo ou palavra;
• itálico também destaca um termo, menos importante que o negrito;
• ‘’ ‘’ (aspas) salientam a importância de alguma palavra;
• ( ) (parênteses) introduzem uma idéia complementar ao texto.

General Comprehension A idéia geral de um texto é obtida com o emprego das técnicas anteriores. Selecionando-se criteriosamente algumas palavras, termos e expressões no texto, poderemos chegar à idéia geral do texto.

Por exemplo, vamos ler o trecho abaixo e tentar obter a “general comprehension” deste parágrafo: “Distance education takes place when a teacher and students are separated by physical distance, and technology (i.e., voice, video and data), often in concert with face-to-face communication, is used to bridge the instructional gap.” From: Engineering Outreach College of Engineering – University of Idaho A partir das palavras cognatas do texto (em negrito) podemos ter um a idéia geral do que se trata; vamos enumerar as palavras conhecidas (pelo menos as que são semelhantes ao Português):

• distance education = educação a distancia
• students = estudantes, alunos
• separeted = separado
• physical distance = distância física
• technology = tecnologia
• voice, video, data = voz, vídeo e dados (atenção: “data” não é data)
• face-to-face communication = comunicação face-a-face
• used = usado (a)
• instructional = instrucional

Então você poderia dizer que o texto trata sobre educação a distância; que esta ocorre quando os alunos estão separados fisicamente do professor; a tecnologia (voz, vídeo, dados) podem ser usados de forma instrucional. Você poderia ter esta conclusão sobre o texto mesmo sem ter muito conhecimento de Inglês. É claro que à medida que você for aprendendo, a sua percepção sobre o texto também aumentará. Há muitas informações que não são tão óbvias assim.

Skimming “skim” em inglês é deslizar à superfície, desnatar (daí skimmed milk = leite desnatado), passar os olhos por. A técnica de “skimming” nos leva a ler um texto superficialmente. Utilizar esta técnica significa que precisamos ler cada sentença, mas sim passarmos os olhos por sobre o texto, lendo algumas frases aqui e ali, procurando reconhecer certas palavras e expressões que sirvam como ‘dicas’ na obtenção de informações sobre o texto.

Às vezes não é necessário ler o texto em detalhes. Para usar esta técnica, precisamos nos valer dos nossos conhecimentos de Inglês também. Observe este trecho: “Using this integrated approach, the educator’s task is to carefully select among the technological options. The goal is to build a mix of instructional media, meeting the needs of the learner in a manner that is instructionally effective and economically prudent.” From: Engineering Outreach College of Engineering – University of Idaho Selecionando algumas
expressões teremos:

• integrated approach = abordagem (approach = abordagem, enfoque) integrada
• educator’s task = tarefa (task = tarefa) do educador – ‘s significa posse = do
• tecnological options = opções tecnológicas (tecnological é adjetivo)
• goal = objetivo
• a mix instrucional media = uma mistura de mídia instrucional.

Com a técnica do “skimming” podemos dizer que este trecho afirma que a tarefa do educador é selecionar as opções tecnológicas; o objetivo é ter uma mistura de mídias instrucionais de uma maneira instrucionalmente efetiva e economicamente prudente.

Scanning “Scan” em Inglês quer dizer examinar, sondar, explorar. O que faz um scanner? Uma varredura, não é?! Logo, com a técnica de “scanning” você irá fazer uma varredura do texto, procurando detalhes e idéias objetivas.

Aqui é importante que você utilize os conhecimentos de Inglês; por isso, nós vamos ver detalhadamente alguns itens gramaticais no ser “ Estudo da Língua Inglesa”. Olhe este trecho: “ Teaching and learning at a distance is demanding. However, learning will be more meaningful and “deeper” for distant students, if students and their instructor share responsibility for developing learning goals: actively interacting with class members; promoting reflection on experience; relating new information to examples that make sense to learners. This is the challenge and the opportunity provided by distance education.” Poderíamos perguntar qual o referente do pronome “ their” em negrito no trecho? Utilizando a técnica de skimming, seria necessário retornar ao texto e entender a sentença na qual o pronome está sendo empregado. “Their “ é um pronome possessivo ( e como tal, sempre vem acompanhado de um substantivo) da terceira pessoa do plural ( o seu referente é um substantivo no plural).

A tradução de “their instructor” seria seu instrutor . Seu de quem? Lendo um pouco para trás, vemos que há “students”; logo concluímos que “their” refere-se a “students, ou seja, instrutor dos alunos”.

sábado, 28 de maio de 2011

Dicas de Português


Obrigado ou Obrigada?

Tenho bastante problemas ou Tenho bastantes problemas?

Bastante, como muito, pode funcionar seja como advérbio, sendo então invariável, seja como adjetivo, devendo então concordar com o substantivo a que se refere. Quando houver dúvida em relação a bastante antes de palavra no plural, pode-se colocar muito no lugar. Se muito for para o plural, o mesmo deverá ocorrer com bastante: Tenho bastantes (muitos) problemas. Elas estão bastante (muito) cansadas. A cada semana O Bom Português dá uma dica nova para você não errar mais

Houveram problemas ou Houve problemas?

O verbo haver, no sentido de “existir”, é impessoal, ou seja, não tem sujeito e deve aparecer sempre na terceira pessoa do singular. Portanto, a forma correta é Houve problemas, sendo problemas o complemento (objeto) do verbo, não seu sujeito. A flexão indevida de haver é muito freqüente no Brasil, mas nunca ocorre quando o verbo se encontra no presente, só em outros tempos.

Com efeito, ninguém diria Hão dificuldades, mas dizem, equivocadamente, Haviam ou Haverão dificuldades. Atenção: se se tratar de locução verbal, o verbo auxiliar será afetado pela mesma impessoalidade, ou seja, deverá sempre ser flexionado no singular: Deve haver mais candidatos, Poderá haver outras exigências. A cada semana O Bom Português dá uma dica nova para você não errar mais

Namorar com alguém ou Namorar alguém?

Na tradição da língua, o verbo namorar é transitivo direto, ou seja, seu complemento não deve acompanhar-se de preposição. Assim, os chamados “puristas” condenam a construção namorar com ela, pois o “correto” seria namorá-la. Ocorre, porém, que namorar com é o mais usual no Brasil, aparecendo mesmo em escritores recentes.

Portanto, quem quiser falar conforme a língua-padrão tradicional dirá namorá-lo(a); quem não quiser fugir dos hábitos coloquiais brasileiros dirá namorar com ele (ela). A cada semana O Bom Português dá uma dica nova para você não errar mais.

Obrigado ou Obrigada?

Obrigado(a) é a forma reduzida de Estou obrigado(a) a você, ou seja, devo obrigação a você. Portanto, o adjetivo (particípio do verbo obrigar) deve concordar em gênero e número com o sujeito, de que é predicativo. Assim, uma mulher dirá Obrigada. Se se tratar de vários homens ou homens e mulheres, impõe-se o plural Obrigados; se forem apenas mulheres, Obrigadas. A cada semana O Bom Português dá uma dica nova para você não errar mais.

Se você o ver ou Se você o vir?

O futuro do subjuntivo (se eu comprar, quando ele for) forma-se a partir do pretérito perfeito do indicativo. Encontra-se o radical do perfeito retirando-se a terminação –ste da segunda pessoa do singular. No caso do verbo ser, o perfeito é fui, fo-ste. Daí o futuro do subjuntivo (quando/se eu) fo-r, (tu) fo-res, (ele) fo-r, (nós) fo-rmos, (vós) fo-rdes, (eles) fo-rem.

No caso de ver, o perfeito é vi, vi-ste. Daí o futuro do subjuntivo vi-r, vi-res, vi-r, vi-rmos, vi-rdes, vi-rem. Quanto ao verbo vir, cujo perfeito é vim, vie-ste, o futuro do subjuntivo é vier, vieres... Assim, o correto é se você o vir; quando eu vier; quando ele disser; se eles estiverem. A cada semana O Bom Português dá uma dica nova para você não errar mais

Siga-me por e-mail